21 de jun de 2010

Escolas para gays?

Escrevi em meu Twitter um dia desses sobre uma "polêmica à vista": Livros didáticos e escolas terão de incluir temática LGBT (orientação sexual e homossexualidade) http://bit.ly/d899MF
Escolas para gays (na verdade, LGBT) e escolas para heterossexuais? Será que essa é a melhor política a ser adotada? Salvador reivindica ser a 1ª conforme imagem acima, mas Campinas, conforme notícia abaixo, deve ter iniciado as aulas em janeiro/2010, portanto terá sido a primeira no Brasil.


Segundo o portal Terra a primeira escola voltada para o público gay do Brasil será instalada em Campinas, no interior de São Paulo, e deve entrar em operação em janeiro de 2010. A nova Escola Jovem LGTB (Lésbicas, Gays, Transexuais e Bissexuais) oferecerá aulas de Expressão Literária, Expressão Cênica e Expressão Artística, além de um curso para formação de drag queens. A unidade em Campinas é a primeira do gênero no Brasil e a segunda na América Latina. Nos Estados Unidos existem várias unidades.


Segundo Tiago Duque, "não basta ter hetero nas escolas dos gays, como não é o suficiente ter gays assumidos nas escolas da maioria heterossexual. As estruturas de opressões estão para além da visibilidade de nossas identidades, que muitas vezes nascem calcadas em valores a serem transformados em busca de uma sociedade mais acolhedora". Ao separar os alunos gays dos heterossexuais, e vice-versa, o sistema de ensino não estaria criando e/ou reforçando estruturas de opressão?




Em Campinas, funciona a primeira escola para lésbicas, gays, bissexuais e travestis. Em Russas, no Ceará, está a travesti Luma que é formada em Ciências, faz pós-graduação e quer estudar na Sorbonne. Algum comentário?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre o autor

Minha foto

Professor universitário. Graduado em Pedagogia. Especialista em Educação, Informática Educativa e Gestão e Design Instrucional para EaD Virtual. Mestre em Educação. Doutor em Educação.