22/02/2010

Planejamento como prática educativa: por que e como planejar?

Estava planejamento minhas aulas e li dois livros do programa da disciplina Planejamento e Avaliação da Educação. Considerei as obras interessantes para discutir uma mania atual dos professores de chamar qualquer coisa que fazem em sala de aula de "projeto", dentre muitas outras coisas relacionadas ao fazer docente nas escolas.

O primeiro livro que li é intitulado "Porque planejar? Como Planejar?", de autoria de Maximiliano Menegolla e Ilza Martins Sant'Anna. Segundo os autores, a educação, o ensino e toda a ação pedagógica devem ser pensados e planejados de modo que possam propiciar melhores condições de vida à pessoa. Assim, o planejamento é um procedimento útil e necessário tanto para o professor como para o aluno e a educação, o ensino e toda a ação pedagógica devem ser pensados e planejados de modo que possam propiciar melhores condições de vida à pessoa. Cabe à escola e aos professores, segundo os autores, o dever de planejar a sua ação educativa para construir o bem viver.

Já o segundo livro lido é de autoria de Danilo Gandin, e intitulado "Planejamento como prática educativa". Este livro pretende ser um texto que impulsione à ação educativa e objetiva esclarecer essa ação, compreendê-la, ajudar a explicá-la, torná-la mais eficiente e mais eficaz.

Atualmente muitos professores realizam uma ação educativa rotineira em sala de aula e denominam tal ato de "projeto" com frases do tipo "isso faz parte do meu projeto!", "estou desenvolvendo um projeto!", "este é o meu projeto!", etc.

Algumas atividades tem um "gosto duvidoso" como folhas mimeografadas com desenhos prontos para simplesmente os alunos pintarem e em seguida a professora expor no mural da escola tentando passar a idéia de "projeto concluído com sucesso!". Já outras atividades são realmente educativas, mas não passam de atividades rotineiras em sala de aula ou, às vezes, alguma "aula de campo" que não passa de uma visita a um determinado local e quando os alunos retornam à escola não lhes é solicitado nenhuma atividade relevante com base naquela visita ou simplesmente solicitam um relatório sobre "o que vocês acharam da visita?", "gostaram?", etc, perguntas essas que não agregam "grande" valor educativo. Diante dessa crise, como produzir uma planejamento como prática educativa?

A resposta está no estabelecimento de processos de formação de professores que exponham essas problemáticas e permita-os se expressar acerca dos planejamentos ocorridos na escola, sendo importante ainda a produção de intervenções por parte de um professor formador inserido nesse processo.

Leia mais:

Um comentário:

  1. Olá tudo legal? Gostaria de convida a conhecer meu pequeno trabalho no blog Ecos em www.ecosdotelecoteco.blogspot.com . Sucesso com o blog aí hein... T +

    ResponderExcluir

Sobre o autor

Minha foto

Professor universitário. Graduado em Pedagogia. Especialista em Educação, Informática Educativa e Gestão e Design Instrucional para EaD Virtual. Mestre em Educação. Doutorando em Educação.